Curiosidades Curiosidades

Voltar

Ilustre Dr. José Soriano de Souza

Fotografia do Dr. José Soriano de Souza

Centésimo octogésimo oitavo do aniversário Dr. José Soriano de Souza, que evidenciou por integrar a tríade consanguínea – que foi a trajetória de três irmãos que, com curtos intervalos temporais, se tornaram, na segunda metade do século XIX, lentes catedráticos do respeitável templo pernambucano de saber. 

 

VIDA
CRONOLOGIA
--------------------------------------------------------------------

1833 – Natural da Paraíba, José Soriano de Souza, nascido a 15 de setembro de 1833, tendo como genitores o Tenente Francisco José de Souza e Anna de Mello Muniz (Anna de Mello e Souza).  Descendente de uma família de notáveis mestres do Direito – que incluía nomes como seus irmão germanos  Braz Florentino Herinque de Souza e Tarquínio Bráulio de Souza Amaranto, como também, seu descendente direto José Soriano de Souza Filho e o seu neto José Soriano de Souza Neto

1853 – Seus estudos básicos ocorreram no Lyceu Provincial da Parahyba do Norte.

1857- 1860 – O quartel-general da Marinha participou que no dia 27 de janeiro de 1858, apresentou se no hospital da marinha da corte, que por aviso de 18 do dito mês foi nomeado aluno pensionista ordinário do mesmo hospital. Tendo iniciado parte do curso de medicina na Bahia, mas fez os restantes dos exames na corte - RJ:

Formou-se em medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro – em 16 de novembro de 1860. 

1862 – Publicou o Ensaio Medico-Legal sobre feriamentos e outras offensas Phisicas e infanticidio, 1 vol. de 300 páginas.

1865 – Fundou e redigiu a Esperança, jornal que sustentou por alguns anos.

1866 – Publicou mais dois livros - Princípios Sociaes e Políticos de Santo Agostinho e Princípios Sociaes e Políticos de S. Thomaz de Aquino.

1867 – Publicou a Religião do Estado e a Pluralidade dos cultos, discutindo com proficiência o art. 5º da constituição monárquica. E também publicou um grande volume de 700 páginas o compenfio de Philosophia. No mesmo ano procedendo se ao concurso da cadeira de Filosofia no Gynasio Pernambucano, foi um dos candidatos e escolhido pelo Presidente da Província, Barão de Villa-Bella (Domingos de Sousa Leão), de opiniões contrárias em politica, e tendo por competidor o Dr. Tobias Barreto.

1870 – Publicou uma segunda edição do seu Ensino Medico-Legal por se achar esgotada a primeira e haver grande procura da mesma.
Nessa época, ocorreu um momento de muita dor pela grande perda familiar, em 29 de março de 1870, onde faleceu subitamente, o seu irmão Dr. Braz Florentino Herinque de Souza  – Presidente da Província do Maranhão, vítima de uma hemorragia cerebral de que fora acometido a 05 da manhã daquele dia, aos 45 anos, na cidade de São Luiz. O cadáver ficou depositado na capela onde rezaram missas do corpo presente até ser transferido para a câmara em que estava armada a Eça, que era na terceira sala do palácio. No dia seguinte, reuniu a câmara municipal e aprovou unanimante uma proposta para que o corpo do presidente fosse sepultado na Catedral, sendo sepultado na capela de Nossa Senho das Dores. 

1871 – Publicou Lições de Philosohia Elementar Racional e Moral de 500 páginas.
Aos 25 de abril de 1871, compareceu o Dr. José Soriano de Souza para tomar posse da referência interina da cadeira de língua racional do curso preparatório para a qual foi nomeado por portaria do Excelentíssimo senhor Diretor datada de hoje. A Memória História de 1871 da Faculdade de Direito do Recife, menciona que na de Língua nacional leu o Dr. José Soriano de Souza, nomeado interinamente em 24 de abril de 1871 para regê-la durante o impedimento do Catedrático Monsenhor Joaquim Pinto Campos, que seguiu para a Corte a tomar assento na Câmara Temporária. Esta nomeação, dada pela diretoria na conformidade das instruções das aulas de preparatório, foi aprovada por Aviso Imperial de 26 de maio de 1871. Pedindo e obtendo sua demissão o Monsenho Pinto de Campos, antes de voltar ao exercício de sua cadeira, foi mantida a nomeação do Dr. José Soriano.

1872 – Universidade de Louvain, na Bélgica reconhecendo os seus conhecimentos filosóficos, conferiu-lhe o título de Doutor em Filosofia honores causa. Publicou umas cartas com o título de Philosophia comparada de Rosmini Descartes e S. Thomaz. Fundou no Recife o jornal A União. Po ocasião de discutir-se a Reforma Eleitoral no Parlamento brasileiro, publicou o Liberalismo nas Constituições e Reforma eleitoral.

1873 – Por ocasião da questão religiosa, salientou-se combatendo pela imprensa no seu jornal A União e brochuras, entre estas – considerações sobre a Igreja e o Estado sob o ponto de vista jurídico, philosophico e religioso, 1 volume de 148 páginas. Publicou uma carta in 4º de 20 páginas, que foi impressa em avultado número de exemplares e dirigida ao conselheiro Dr. Zacarias de Góes e Vasconcellos, mostrando a necessidade da Fundação de um partido católico e ainda depois publicou o - Ensaio do Programa para o partido católico de 100 páginas na qual tratou dos pontos de política dignos de figurarem no programa do partido católico, e entre esses pontos tratou da descentralização, esforçando-se pela autonomia dos municípios.

A Memória Histórica de 1873 da Faculdade de Direito do Recife, menciona que tendo sido posta segunda vez em concurso a substituição de Philosopsia, Geographia, História e Rhetorica e ninguém se tendo inscrito, resolveu o Governo Imperial, baseado no art. 81 do Regulamento das aulas preparatórias, provê-la independente de concurso, e assim foi nomeado por Decreto de 17 de maio o Sr. Dr. José Soriano de Souza professor substituto das supraditas matérias. E aos 03 de junho de 1873, nesta secretaria da Faculdade de Direito do Recife, presente o Exmo. Senho Diretor interino Conselheiro Dr. Francisco de Paula Baptista, compareceu o Dr. José Soriano de Souza e apresentando a carta imperial datada em 17 de maio de 1873, pela qual foi nomeado para o lugar de Professor substituto das Cadeiras de Retórica, Filosofia, História e Geografia das aulas preparatórias anexo a esta Faculdade. E tendo sido exonerado em data de 3 de junho de 1873 a pedido da regência interina da cadeira de grammatica e lingua nacional o mesmo Sr. Dr. José Soriano de Souza, foi nomeado interinamente pelo Diretoria para servir nesse lugar o Sr. Albino Gonçalves Meira de Vasconcellos, que começou a exercê-lo aos 10 de junho, sendo esta nomeação aprovado por Aviso de 31 do junho.


1880 – Publicou os Elementos de Philosophia do Direito de 474 páginas

1883 – Publicou os Apontamentos do Direito Constitucional 1 volume de 318 páginas e Pontos de Direito Romano 1 volume de 200 páginas.

1886 – Eleito Deputado geral pela 3º distrito da Paraíba do norte, fazendo parte de legislatura de 1886 a 1889. 

1884  – Foi dolorosamente surpreendido com a notícia de haver falecido na cidade do Recife sua venerada mãe, Dona Anna de Mello e Souza, em 19 de julho de 1884. A ilustre matrona baixou ao túmulo cercada de admiração que desafiavam suas virtudes, entre as quais brilha a de ter sabido legar a pátria, filhos como o doutíssimo mestre de direito Dr. Braz Florentino Henriques de Souza, os Dr Tarquínio Bráulio de Souza Amaranto, Dr. José Soriano de Souza, nomes respeitáveis pela colação social, cedo alcançada por suas virtudes e talento. 

1891 – Conforme consta no livro de posse da Faculdade de Direito do Recife, que aos 12 de março de 1891, reunida a Congregação as duas horas da tarde, compareceram para tomar posse dos lugares de lente Catedrático desta Faculdade para os quais foram nomeados os Doutores, José Soriano de Souza, Lente da 2ª cadeira da 1º série do curso de ciência Jurídica(Direito Publico e Constitucional), Henrique Augusto de Albuquerque Milet, Lente da 2ª cadeira da 2º série do curso jurídico, Antônio de Siqueira Carneiro da cunha Lente da 1º cadeira da 3º série do curso de ciência Jurídica Antônio Clodoaldo de Souza, Lente da 3º cadeira da 4º série do curso Ciências Médicas e Constâncio dos Santos Pontual Lente da 3º cadeira dos cursos de Ciências sociais e em vista do Ofício de 11 de março deste ano do Governador deste Estado, mandando dar posse pelo Diário Oficial de 21 de fevereiro de 1891. 


Na Memória Histórica de 1891 da Faculdade de Direito do Recife, fala que no dia 18 de Março reuniu-se a Congregação, o segundo mandou o Ministro da Instrucção Pública foi conferido o grau de Doutor em direito não só aos lentes Bacharéis em Ciências Sociais e Jurídicas Epitacio, Gonçalves Ferreira, Clovis, Eugênio de Barros, Phaelante José Vicente, Laurindo, e Sophronio, que então tomou posse do lugar de substituto para que fora nomeado, como também ao Dr. José Soriano de Souza, Doutor em Medicina, que não tinha o grão de bacharel em Ciências Socais e Jurídicas, e que fòra nomeado lente catedrático da 2ª Cadeira da 1º Serie comum aos dois cursos. 
E ainda menciona que por proposta do Dr. Cirne, e depois de decidida uma preliminar sobre ser ou não competente a Congregação para resolver a hipótese, manifestando-se pela incompetência da Congregação os Drs. João Vieira, Barros Guimarães, Vaz e Portella Júnior, o pela competência os Drs. Laurindo, Phaelante, Sophronio, Simões Barboza, Epitacio, Clodoaldo, Milet, Pontual. Eugênio do Barros, Soriano, Clovis, Gonçalves Ferreira, Gomes Parente. José Vicente, João Elysio. Martins Junior, Adelino Filho, Escorei, Cirne o Seabra, o Director consultou a Congregação se tendo sido conferido o grão de Doutor em direito ao Dr. Soriano, aos outros lentes Doutores em Medicina que fazem parto do corpo docente não caberia o mesmo direito; e a Congregação resolveu pela afirmativa e que se conferisse o grão, votando neste sentido os Drs. Laurindo, Soriano, Clovis, Gonçalves Ferreira, Gomes Parente, José Vicente, João Elyzio, Adelino Filho, Martins Junior, Escorei e Cirne, e contra os Drs. Phaelante, Soplironio, Epitácio, Clodoaldo, Milet, Eugênio do Barros, Portella Júnior, Vaz, Barros Guimarães, João Vieira e Seabra, sendo então marcado polo Diretor o dia 23 para o ato da colação.

Também menciona que O Dr. Soriano por ter de tomar parte no Congresso (do Estado como Senador não compareceu do dia 15 de Abril em diante, sendo sua cadeira regida pelo respectivo substituto. O Dr. Soriano de Souza, que ao abrirem-se as aulas estava fora da regência dc sua cadeira como Senador Estadual, voltou depois à Faculdade e do dia 18 de Junho a 8 de Agosto esteve no gozo da licença de 2 meses que em data de 13 de Junho lhe fora concedida pelo Ministro da Instrução Pública; e de 10 de Agosto a 11 de Dezembro esteve nova mente ausente da Faculdade como Senador Estadual. Regeu sua cadeira o substituto da sessão a que pertence.
Na Republica foi Senador do Estado e sendo eleito Presidente do senado pernambucano.
1893 – Publicou Princípios de Direito público e constitucional 1 volume de 467 páginas.

1894 – Aos 65 anos, faleceu na Capital Federal – Rio de Janeiro, em 29 de agosto de 1894, seu irmão Dr. Tarquínio de Souza, lente jubilado da Faculdade de Direito do Recife e ultimamente exercia nesta capital a profissão de advogado. O enterro foi no outro dia as 16:00 horas no cemitério de São João Baptista, saiu o féretro da rua Marquez de Abrantes Nº 51. 

1895 – Em 12 de Agosto de 1895, com 62 anos incompletos, Dr. José Soriano de Souza, faleceu em sua residência que sucumbiu a um ataque pernicioso às 2 horas da madrugada, na cidade do Recife, capital do Estado de Pernambuco e foi sepultado no Cemitério de Santo Amaro. E Geraldo Andrade escreveu a sentida Morte de Dr. José Soriano de Souza, que ano depois foi exibida no jornal Nova Philadelphia .

___________________________________________________________________


Vale destacar, uma circunstância única na vida universitária de nosso país, apresentando um relato breve da trajetória de três irmãos consanguínea, seguindo nessa ordem cronológica de idade e de ingresso no grau máximo da vida acadêmica do Recife: tendo como genitores o Tenente Francisco José de Souza e Anna de Mello e Souza, seus filhos como o ilustrado mestre Dr. Braz Florentino Henriques de Sousa – nasceu em 04 de março de 1825, na Paraíba e faleceu 29 de março de 1870, aos 45 anos – Maranhão. Recebendo o grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela FDR em 15 de outubro de 1850, na mesma Faculdade o Doutorado em 1851 e como Lente (substituto – 20 de Junho de 1855 e Catedrático da 1ª cadeira do 2º ano em 01 de Junho de 1858 na FDR), Dr. Tarquínio Bráulio de Sousa Amaranto – nasceu em 20 de julho de 1829, no Rio Grande do Norte e faleceu 29 de agosto de 1894, aos 65 anos – Rio de Janeiro. Recebendo o grau de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela FDR em 03 de dezembro de 1857, na mesma Faculdade o Doutorado em 14 de julho de 1859 e como Lente (substituto – 31 de Março de 1860, Catedrático da 2ª cadeira do 2º ano em 14 de Fevereiro de 1871 na FDR e jubilado em 21 de Fevereiro de 1891) e Dr. José Soriano de Souza – nasceu em 15 de setembro de 1833, na Paraíba e faleceu em 12 de agosto de 1895, aos 62 anos – Recife. Graduado e doutor em Medicina, pela Faculdade do Rio de Janeiro, em 1860, também se graduou e se tornou doutor em Filosofia na Universidade de Lovaina, na Bélgica e como Lente (Com a reforma nos cursos jurídicos de Benjamin Constant, Soriano recebeu o grau de doutor por força legal, tendo sido também nomeado lente de Direito Constitucional, assumindo a 2ª cadeira da 1º série do curso de Ciência Jurídica em 12 de março de 1891). 

Fonte Consultadas:
>> Biblioteca Nacional digital Brasil -Jornal do Commercio (RJ) - 08 de novembro de 1857

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -O Correio da Tarde : Jornal Commercial, Politico, Litterario e Noticioso (RJ) - 10 de novembro de 1858

>> Biblioteca Nacional digital Brasil - Jornal do Commercio (RJ) - 18 de fevereiro de 1858

>> Biblioteca Nacional digital Brasil - O Correio da Tarde : Jornal Commercial, Politico, Litterario e Noticioso (RJ) - 08 de novembro de 1859

>> Biblioteca Nacional digital Brasil - Correio Mercantil, e Instructivo, Politico, Universal (RJ) - 12 de novembro de 1860

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  O Cearense (CE) - 25 de abril de 1890

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  Gazeta de Sergipe: Folha Diaria (SE) - 23 de abril de 1890

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  Nova Philadelphia : Propriedade de uma Associação (MG) - 07 de março de 1897

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  Gazeta Médica da Bahia : Publicada por uma Associação de Facultativos (BA) - 1895 - Indice Do volume 6º da 4º série 1895 a 1896

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  Relatórios do Ministerio da Justiça (RJ) - 1897

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -  Jornal de Recife (PE) -  13 de agosto de 1895 

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -Republica (SC) – 19 de setembro de 1895

>> Biblioteca Nacional digital Brasil -Nova Philadelphia : Propriedade de uma Associação (MG) - 07 de março de 1897

>> Lista geral dos bacharéis e doutores que tem obtido o respectivo grau na Faculdade de Direito do Recife, desde a sua fundação em Olinda, no ano de 1828, até o ano de 1931 – Acervo do Arquivo da FDR  

>> Livro de Registros dos diplomas e títulos de todos os empregados do corpo jurídico - 1828 – 1930, páginas 70, 68 e 117


>> Lições Philosophia Elementar Racional e Moral Por José Soriano de Souza

>> Memoria Historico-Academica 1871 - apresentada no anno de 1872 pelo João Thomé da Silva, lente substituto da mesma Faculdade. 

>> Memoria Historica Academica 1873 - apresentada em sessão da Congregação de Maio de 1874 pelo Dr. Joaquim Tavares Belfort , lente substituto da mesma Faculdade.

>> Memoria Historica 1891 - apresentada á Congregação da Faculdade de Direito do Recife em 1 de Abril de 1892, pelo Lente Cathedratico Manoel do Nascimento Machado Portella Junior 


>> Relatório do Livro de Registros dos diplomas e títulos de todos os empregados do corpo jurídico - 1828 - 1930
 

 

Data da última modificação: 16/09/2021, 16:35